quinta-feira, 31 de outubro de 2013

A importância da música na vida das pessoas.

                                                                                                                      Por Ana Luiza Coutinho      
Caro leitor,

O que você acha sobre o som que você escuta no carro indo para a escola ou o trabalho? Ou até mesmo em uma festa? Em algum momento você já tentou praticar música? Será que uma aluna, como eu, conseguiria lhe convencer? Pois esse é meu objetivo: convencer você leitor a despertar um interesse por música, ou se não, ir correndo atrás de uma escola de música para seu filho/a.

A música é uma forma de arte praticada desde os tempos pré-históricos. Além de ser uma arte pode servir como um modo educacional e uma terapia para as pessoas. Mas afinal, qual é a importância da música nas nossas vidas?

A importância da música nas nossas vidas não tem idade, o mundo não vive sem ela pois esta presente em todos os momentos. Dá para imaginar uma festa sem música? Um filme ou um desenho? Ou até mesmo a missa sem uma canção? Não teria como! Se parássemos apenas cinco minutos para pensar perceberíamos que a música dá vida as coisas, aos brinquedos, ao vídeo game, novelas. As músicas podem nos levar a uma viagem, podemos conhecer lugares que não existem, podem acalmar as pessoas ou deixá-las alegres, podem nos fazer chorar ou até mesmo lembrar de um momento divertido, ai nós rimos. Segundo Nelson L. Miranda "A música, em razão de seu poder criador e liberador, é um poderoso recurso disponível para ser usado no processo educacional. Ela representa uma importante fonte de estímulo, equilíbrio e felicidade para a criança"

A música hoje nos traz muitos benefícios, estimula nosso cérebro e, especialistas dizem que a música deve ser incentivada desde cedo pelas crianças. Tocar um instrumento fortalece e melhora a coordenação motora; o estudo musical amplia o raciocínio; crianças que estudam música vêm a ter bom comportamento em sala de aula; pessoas de maior idade que praticam música terão melhoria significativa na sua saúde e combate o mal de Alzheimer; reduz o sentimento de ansiedade e de solidão e outros inúmeros problemas.

Tenho uma proposta pra você, leitor, que tal praticar algum instrumento que você se identifique?  Claro, no começo será difícil, mas depois tudo facilita como na vida! Um  desafio as vezes não cai tão mal, não é mesmo?

Fontes: 

domingo, 27 de outubro de 2013

Estudantes do Aplicação na 1ª FEBRAT

por José Carlos,

No período de 21 a 24 de outubro,  estudantes e professores do Colégio de Aplicação-UFSC participaram da 1ª Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas, em Belo Horizonte - MG. No evento participaram pesquisadores do Ensino Fundamental e Médio. O projeto Pés na Estrada contou com os seguintes trabalhos: 

Estudante-pesquisador
Turma
Trabalho
Orientador
Carol Gomez
2º. C
As faces desconhecidas das Inconfidentes.


Fernando Leocino da Silva
Eryck Schmitz
2º. B
Julia Pozzetti
1º. D
Os santos não falam do céu.
Luiz Henrique Nicolau
1º. C
Beatriz de Costa Pereira
1º. D
Cultura negra: Do sincretismo religioso à construção da identidade brasileira.
Valentina Paiva de Andrade
1º. C
Daniele Cristina Dias
9º. A
“O que se vê pode não ser!” Mídia e MAB no entendimento dos moradores de Itá (SC)
Laís Prudêncio Scheffer Silva
9º. C
Ricardo Munarim Kruger
9ºA
Construção  da Usina Hidrelétrica Itá: um estudo sobre os impactos sociais e ambientais
José Carlos da Silveira
Maria Eduarda V. Caetano
9ºC
Giulia Gaia Peres Pereira
9ºB
Aspectos econômicos de itá: fontes de renda pós construção da uhe itá


Lisiane Vandresen
Maria Luiza dos Santos Rosa
9A
Bruna Schiavini Hoepers
Legislação para a construção de hidrelétricas: será que as leis estão sendo realmente cumpridas na uhe itá?
Lesliane Lacerda dos Santos
Isabela Popenke Paes
9°A
Impactos sociais da UHE Itá: como os cidadãos reagiram à construção da hidrelétrica

Giselle de Souza Paula Pires
Luiz Felipe Domingos
9ºB
Maria Eduarda Sirydakis
Reportagem: aproximando sala de aula e pesquisa de campo

Nara Caetano Rodrigues
Natália Dias Goulart








sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Pense no que plantas!

Natália Sperdutti

Era uma menina chamada não sei o quê
Mas como todo mundo ela reclamava
Das coisas que odiava e não gostava

Reclamava do que tinha passado
Como um pão amassado e pisado
Por todos que conhecia e que via
Por muito tempo ela viveu como queriam

Só que agora a paciência esgotou
Como um mar que transbordou
Fez sua tempestade, como sempre não
Mereceu o que queria e sua busca foi em vão

Mas o que ela merecia se não parava de reclamar?
Ela precisava VIVER de verdade como quem ama
E não passar a vida com uma rotina qualquer

Porque quem VIVE com sentimento não esquece
Já quem faz rotina esquece o propósito da vida

E esse proposito quem escolhe é você.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Uma raridade na natureza

Por Juliana Santinn


Caro Leitor,

Após assistir muitas matérias sobre grandes felinos no "Animal Planet" (programa de televisão) resolvi escrever um pouco sobre uma espécie rara de felino: o leão branco.

Todos já devem ter ouvido falar do leão branco. Ele constitui uma rara mutação em sua cor que é devida a uma particularidade em sua genética chamada leucismo (falta de pigmentação no corpo). Eles apenas se distinguem dos outros de sua espécie por sua pelagem muito clara, quase branca, causada por uma anomalia em seus genes. Além disto seus olhos podem chegar a ser dourados ou até azulados.

Atualmente os cruzamentos desses leões são feitos em zoológicos pois já não existem na natureza selvagem. Eles apareciam na reserva de Timbavati, na África do Sul, mais desde o ano de 1993 não são mais avistados, pois praticamente foram extintos da natureza. Muitos confundem os leões brancos como sendo albinos mais não, sua cor branca é causada por um gene inibidor recessivo, muito diferente do gene do albinismo, mais existem também leões brancos por albinismo, mas estes possuem olhos vermelhos e grande sensibilidade ao sol, muito raros e ameaçados também de extinção.

Curiosidade: No mundo hoje em dia existem apenas dois mil leões brancos, muito mais do que no ano de 1999 quando restaram apenas 500 leões.


Referências: "Animal Planet" e "Planeta Animal" (programas de TV)

Aikido: A arte marcial da paz

Por Juliana Santinn
Morihei Ueshiba

Aikido é uma arte marcial que foi fundada pelo mestre Morihei Ueshiba mais conhecido como “O Sensei” que significa (“Grande Mestre” ou “Grande Professor”). Morihei nasceu em Tanabe, Wakayama, Japão, no ano de 1883 e acabou falecendo em 1969 aos 85 anos. O grande objetivo do mestre era poder criar uma arte em que seus praticantes pudessem se defender a partir do ataque do seu adversário. O Aikido é exercido através de uma combinação de movimentos atacantes, redirecionando a força do adversário contra ele mesmo, ao invés de combatê-la diretamente.

Nesta arte marcial os praticantes têm uma função: de ser uke (recebe a técnica) ou nage (que executa a técnica). Um dos princípios do Aikido é que nunca em nenhuma circunstância o seu praticante deve ir contra aquilo que está sendo proposto por seu sensei, pois ao fazer isso ele pode se machucar.

Esta arte marcial chegou ao Brasil  no século XIX trazida por alguns praticantes do mestre Morihei Ueshiba. Para podermos entender melhor o significado desta arte vejamos o que seu nome quer dizer:

AI – Harmonia
KI – Energia
DO – Caminho

Muitos acham que as artes marciais são pesadas e agressivas e etc., no entanto, o Aikido é uma arte para encontrar a paz interior, pois como seu próprio nome traduz "caminho da energia com harmonia", tendo como principais fundamentos o respeito e a concentração.

Representação de uma katana, principal arma usada no Aikido

Referências:
Conversa com Sensei Fabio e Sensei Carlos

Disponível em <aikidokas.com.br> acessado em 26.set.2013

QUANDO SE É CRIANÇA!

Por Natália Sperdutti.

Quando se é criança somos distraídos e, também, felizes.

Todos são iguais e amigos.

Por causa dessa felicidade o tempo passa rápido e quando vemos queremos voltar criando a esperança de que tudo dê certo de forma satisfatória.

É difícil ter a mesma felicidade, aliás, estamos em um país onde o dinheiro é mais importante, onde nada se resolve e se for resolver é na base na violência.

Quando se é criança somos puros e contagiantes para as pessoas, alegramos seus dias sem ao menos percebermos.

POR ISSO QUE EU AMO SER CRIANÇA.


Crédito da imagem: http://www.harmoniearomaterapia.com.br/aromaterapia-para-criancas/ acesso em 02.out.2013.