quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ouro na colônia portuguesa



por Gabriela Raupp,


O sonho de Portugal sempre foi encontrar metais preciosos, conseguiram encontrar, mas a procura foi longa. As pessoas que viviam na colônia portuguesa, só podiam circular pelas Estradas Reais, caso quisessem entrar e sair da região. Essa região foi considerada a maior fonte de riquezas de Portugal, que hoje é chamada de Minas Gerais. O governo português impedia que essas riquezas saíssem desta região sem o pagamento do imposto.

Em 1693, os bandeirantes descobrem o ouro em diferentes lugares de Minas Gerais. O povo, independente de raças, de homens ou mulheres, ricos e pobres iam em busca dessas riquezas, para o enriquecimento rápido. Com isso muitas pessoas morriam, porque seguiam em direção a Minas, sem comida e tinham que enfrentavam os indígenas, ou seja, sem preparo nenhum. O governo então começou a adotar medidas para impedir o despovoamento da costa. 

Os paulistas sentiam-se os “donos do pedaço”, pois foram os primeiros a chegar à região. Já os bandeirantes chamam os forasteiros de emboabas. As relações entre os paulistas e os emboabas eram tensa, em 1707, isso se transformou em conflito e ficou conhecido como Guerra dos Emboabas. Em 1709, muitos paulistas foram assassinados e jogados no rio das Mortes, isso ficou foi chamado de Capão da Traição.

Quando encontrassem ouro, deveriam comunicar o governo, eles iam até o local e dividiam as terras em lotes de no máximo 66 metros quadrados, onde o chefe da intendência tinha direito a um e os demais eram leiloados.

Além daqueles que procuravam o ouro, havia os faiscadores, que eram independentes em suas buscas. No início da mineração, quem chegasse primeiro podiam ficar com o ouro encontrado, então acabou ficando uma concentração de riquezas nas mãos de poucos.

Foram criados pelo governo, os tributos, que era o quinto e captação. O quinto definia que 20% do ouro extraído nas casas de fundição eram do rei. Esses altos tributos geravam revoltas, principalmente em Vila Rica, na qual os líderes eram condenados à morte, como Felipe dos Santos. Para impedir que as pessoas saíssem da região sem pagar os tributos, o governo proibiu a abertura de novos caminhos e aumentou o controle nas estradas.

Em 1729, a coroa portuguesa foi informada da existência de uma região com diamantes, onde hoje é a cidade de Diamantina. O governo então criou a intendência dos Diamantes e determinou que fosse posse da Coroa e só poderia ser explorado por contratantes reais.

Não podemos esquecer-nos da importância do ouro na arte barroca, que sempre esteve presente nas igrejas e obras, naquela época era uma disputa entre as irmandades para ver qual era mais bonita. Com essa disputa eles costumavam contratar artistas, onde os que se destacaram foram o Aleijadinho, José Soares de Araújo e Manuel da Costa Ataíde.



O ouro e o diamante foram importantes para a colonização, promovendo um desenvolvimento urbano, ao longo do tempo foram surgindo vilas e povoados, diversificação de trabalhos na região mineradora e até hoje tem uma grande importância histórica para o nosso país.

Referência: AZEVEDO, Gislaine, SERIACOPI, Reinaldo.
Ouro na Coroa Portuguesa. In: História em movimento
São Paulo: Ática, 2010.

Dia da Árvore



por Gabriela Raupp,

Você sabia que dia 21 de setembro foi o dia da árvore? A árvore ganhou um dia especial por causa de sua importância para a vida humana e também com a chegada da primavera, onde ganham nova vida e abrem lindas flores que dão origem a novas árvores.

Você valoriza as árvores em sua volta? Planta pelo menos uma árvore por ano? Devemos começar a valorizá-las, pense o que seríamos sem elas. Uma árvore ajuda no nosso oxigênio, elas reduzem os casos de asma, câncer de pele e doenças relacionadas ao estresse, pois ajudam a diminuir a poluição do ar, favorecem o sombreamento e um ambiente atrativo e calmo. 

Elas desenvolvem um papel importantíssimo no ecossistema, pois são responsáveis por manter uma boa parte da biodiversidade. As árvores reduzem poluição sonora e os ventos, mantendo umidade do ar e chuvas regulares e contribuem na beleza natural.
O homem precisa ter consciência de que as plantas também são seres vivos e que levam tempo para se desenvolverem. Uma árvore leva longos anos para ficar bem desenvolvida e algumas são tão velhas que são tombadas como patrimônio natural, devendo ser preservadas.

Todos nos podemos ajudar a preservar, que tal começando pelo desperdício de papel? A metade das árvores cortadas no planeta é destinada a fabricação de papel. Usar menos papel é uma ótima maneira de ajudar e salva-las. Existem muitas outras maneiras, pense no nosso futuro, vamos valoriza-las!




“Se você está pensando um ano à frente, semeie uma semente. Se você está pensando dez anos à frente, plante uma árvore.” - Poeta Chinês, 500 AC

Avaí: o Melhor de Santa Catarina

por Luiz Felipe,

Florianópolis, também conhecida como ilha da magia é uma das cidades mais bonitas do Brasil, com muitas praias bonitas, casas antigas e patrimônios históricos que mostram muito da história da cidade. Cidade bela por natureza com muita mistura de culturas, raças classes e religiões também é dona do melhor time de Santa Catarina, o Avaí Futebol Clube, que foi fundado no dia 1 de setembro de 1923 como um clube de serie C sem nenhum craque mas sempre criando mais torcedores e dando um jeito de dar emoção e felicidade durante os jogos aos seus fieis seguidores ( torcedores ).

O clube tem um fiel concorrente também conhecido como Figueirense Futebol Clube que é um clube que  teve  a sorte de subir para a série A em 2012 e fica zuando os avaianos que, pelo menos tem 16 títulos do campeonato catarinense, quando o Figueirense tem apenas 15. Essa disputa entre os dois times de um certo modo é muito engraçada pois ambos não são GRANDES times mais sempre tentam se achar melhor que o outro de alguma maneira. Em época de clássico as zuações e chingamentos entre avaianos e figueirenses são imensas mas eu sempre defendo o leão da ilha que querendo ou não é o MELHOR DE SANTA CATARINA.

A cada ano o leão vai conquistando cada vez mais torcedores que por um lado é bom pois a emoção durante os jogos é maior,  mas também tem seu lado ruim. O lado ruim é que em dias de jogo do Avaí Florianópolis praticamente para pois a fila de carros com destino ao estádio da  Ressacada é imensa e acaba provocando um tnsito horrível que é de estressar qualquer um.

O Avaí também é muito conhecido por sua torcida organizada, a Mancha Azul do Avaí, fundada em 1995 por torcedores locais. A Mancha Azul é simplesmente a maior torcida de Santa Catarina conhecida e respeitada pelo Brasil inteiro por suas músicas e gritos de guerra  que sempre incentivam o leão em seus jogos emocionantes que arrepiam os torcedores a cada lance.

Vamos acordar para a vida?



 por Fabiane,

É incrível tu parares pra pensar no mundo em que vivemos hoje em dia. A pessoas andam tão supostamente ocupadas e “não têm tempo” para nada, nem para se dar conta de até onde nós chegamos. O ser humano mergulhou nesse “mar capitalista”. Vivemos numa sociedade de crianças com medo do futuro, de adolescentes que só pensam no número de amigos que acumulam no Facebook e de adultos “sem tempo”. Pare um instante. Observe, pense, analise, critique as coisas a sua volta. O capitalismo fez de nós pessoas incapazes de questionar as coisas. A realidade está invisível para muitos, a corrupção, por exemplo, está encoberta pelo brilho do Carnaval, pelo grito do gol.

Que mundo é esse, onde os valores de cada um foram perdidos? Que mundo é esse, onde a polícia diz promover a paz e a segurança, quando muitas vezes o faz com cassetetes? Que mundo é esse, onde políticos têm dinheiro até nas meias, enquanto uma mãe não tem o que dar de comer aos filhos? Que mundo é esse, que o preconceito fala mais alto que o respeito? Que mundo é esse, onde a natureza passou a ser vista somente como fonte de riqueza? Por que nos dias de hoje o “ter” é mais importante que o “ser”? Cadê nossos valores, cadê?

 Sai dessa! Sai do Facebook, do Twitter, do MSN. Lê um livro. Pode parecer aquele papo chato, de professor, de pai e mãe, mas é a real. Essas horas jogadas fora na internet não servem pra nada, absolutamente nada. O tempo que você gasta sentado em frente à televisão, só te torna mais alienado. Os comerciais dizem pra você comprar algo que não precisa, com o dinheiro que não tem! E é exatamente isso que o capitalismo quer: Não pense, não questione, apenas compre e trabalhe. Estamos sendo cada vez mais controlados.

            Viva mais. Veja o sentido da vida nas coisas mais simples, mais necessárias, e não ligue tanto para as fúteis. “Coma pela metade, caminhe o dobro, sorria o triplo”. Seja muito, mesmo que tenha pouco. Antes de mudar o mundo, é preciso mudar a si mesmo, e lembre-se: O que você foi, ficará guardado pra sempre na memória das pessoas, já a sua conta bancária, não vai com você para caixão.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

A consciência é nossa arma


por Valentina,

Pensei se fazer um texto sobre essa época de eleições seria uma boa ideia, afinal todos já estão cansados de saber e ouvir as mesmas histórias e ladainhas. Mas se é assim, então por que não saímos da mesma situação, não é mesmo?

Todos sabem que o Brasil é um país com problemas sociais, e não são poucos. Sabem que a corrupção está presente em nosso governo, que os investimentos em educação são os mínimos, que a situação em hospitais públicos é extremamente precária, que a pobreza é uma realidade em grande parte do nosso país e, principalmente, que quem sustenta essa situação somos nós, cidadãos brasileiros.

Aqui, lucra-se sobre a ignorância, sobre a criminalidade, violência e miséria de um povo, em função de alguns interesses pessoais. Mas além da parcela de culpa que cabe aos políticos corruptos e ao mal uso do poder dado a eles pela população, há ainda um importante fator: a consciência de cada eleitor. A importância que dá ao seu voto e a confiança que deposita em seus candidatos.

O que estou tentando dizer é que o voto é uma das nossas poucas armas contra essa situação, a qual nós mesmos sustentamos, sendo assim é mais do que óbvia a importância de discutir, criticar e refletir bastante antes de tomar essa decisão. E se você, como eu, não vota, não significa que não tenha papel nenhum dentro desse cenário, porque sofremos igualmente com os problemas políticos no Brasil, afinal, ainda que não tenhamos total autonomia, também somos cidadãos,e assim temos o direito e o dever, de nos posicionar de alguma forma diante dos problemas que afetam nosso país.


Cotas Raciais


por Gabriela Raupp,

Já ouviu falar em Cotas para vestibular? Acha certo? Cotas foram criadas para amenizar desigualdades sociais, econômicas e educacionais entre raças. Existem pontos positivos e negativos.

Os negros, antigamente sofriam preconceitos, por causa da colonização, eles foram o alvo da escravidão durante séculos. Devido a esse trabalho escravo eles ficaram marcados, como se fossem seres inferiores, assim como os indígenas também. Por isso eles possuem menos aceso aos estudos.

 Por esse motivo existem as cotas, isso facilita o aumento do percentual de negros e índios nas universidades. Mas isso pode facilitar ainda mais o aumento do preconceito em nossa sociedade, já que muitos dizem que os direitos devem ser iguais para todos independente de raças. O Brasil tem atualmente a segunda maior população negra do mundo e não podemos negar que o país tem uma dívida histórica com negros e indígenas.

E as cotas para colégios públicos? Infelizmente o governo admite que os colégios públicos não tem o mesmo nível de ensino de escolas particulares. O assunto é bastante polêmico e nada indica que um dia deixará de ser. Por outro lado, as cotas raciais já prejudicaram várias pessoas que perderam vagas em faculdades ou empregos para concorrentes com menor pontuação ou qualificação.

O governo deveria investir mais na educação de nosso país, pois com melhor qualidade de ensino, garantira um futuro mais digno e com menos desigualdades, favorecendo melhores salários, diminuiria a preocupação do governo com a segurança, teríamos cidadãos mais corretos, tudo com a base da educação.

Banda Somato e o Projeto 12:30


por Valentina,

Há alguns meses, andando pela UFSC, parei pra ouvir uma banda que se apresentava na concha acústica, ao lado do CCE (ou Básico, como costuma ser chamado pelos estudantes) e resolvi compartilhar com vocês através do blog, aproveitando a deixa para falar sobre o Projeto 12:30, o qual muitos conhecem, mas poucos dão alguma atenção ao que me parece ser uma iniciativa cultural de muito valor pra pessoas como nós, que passam o dia todo estudando/trabalhando na UFSC, descansarmos ao som de uma boa música.

Toda semana, às quartas feiras, no horário do 12:30 (oh!), há algum tipo de apresentação na concha acústica, desde bandas e compositores solo, até hippies armados de apenas um violão. Além disso, a cada quinze dias, às quintas-feiras, acontecem apresentações no teatro da UFSC, as quais também fazem parte do projeto, é o 12:30 Acústico. Ah, e se você tem uma banda que está começando (ou não) e sente vontade de se apresentar, pode se inscrever pra tocar, basta mandar um e-mail para a coordenação do projeto, com alguns dados de vocês (mais informações aqui: http://dac.ufsc.br/projeto-1230/).

Não deixem de passar e dar uma olhadinha, além de ser um gramado muito convidativo para tirar uma soneca após o almoço, é sempre bom ouvir coisas novas.

Segue o clipe da música “O grande fardo”, da banda Somato, que se apresentou no dia 09/05 e aproveitou pra vender seu CD, super bonitinho, por meros cinco reais:

Se você quiser, pode escutar e baixar outras músicas da banda aqui: http://www.somato.tnb.art.br/, e aqui: http://soundcloud.com/somato/.